whatsapp tecmobili
Home / Blog

A Comunicação não-violenta pode melhorar o convívio nos condomínios

VOLTAR PARA TODOS OS POSTS Escrito por:

Data: 12/03/2021

A Comunicação não-violenta (CNV) é importantíssima para que as relações interpessoais sejam saudáveis. Através de diálogos transparentes, é possível evitar conflitos entre amigos, no trabalho e, principalmente, no condomínio. Continue lendo e saiba mais sobre o tema.

O que é a Comunicação não-violenta?

Uma fala que é transmitida sem pensar pode desencadear centenas de questões e problemas desnecessários. Para resolver isso, a Comunicação não-violenta (CNV) surge como uma ótima solução.

O conceito de Comunicação não-violenta foi criado pelo psicólogo americano Marshall Rosenberg, em 1960.

De acordo com Rosenberg, a CNV tem como objetivo gerar integração de habilidades de linguagem e de comunicação, portanto, ela serve de apoio para resolver pacificamente situações de conflitos. 

Além de facilitar a nossa conexão com as nossas próprias necessidades, a CNV permite com que possamos compreender o que está por trás daquilo que as outras pessoas falam, independente da maneira que eles se expressam de maneira certa ou errada. 

Ou seja, a CNV preza – especialmente – pela resolução das necessidades humanas, de forma que todo e qualquer conflito seja resolvido de maneira satisfatória pelas pessoas envolvidas. 

Os 4 princípios da Comunicação não-violenta

A CNV tem 4 princípios para garantir que as relações interpessoais sejam o mais empáticas possível. Veja a seguir quais são:

Observação

Em primeiro lugar, é importante entender que essa característica diz respeito sobre separar observação da avaliação.

Durante a observação, é preciso entender o que está, de fato, se passando na situação em questão, seja a partir da audição, visão e tudo aquilo que afeta o nosso bem estar. 

A abordagem deve ser cautelosa, uma vez que ao avaliar prontamente uma determinada situação, a pessoa com quem você está conversando pode entender a sua mensagem de maneira distorcida, como uma crítica, e acabar se tornando resistente. 

A CNV não nos inibe de avaliar determinadas situações, mas “observar” ao mesmo tempo em que se “avalia”, é possível acabar depositando pré-julgamentos. Portanto, tenha cautela ao abordar e lembre-se de separar bem a avaliação da observação para encontrar um equilíbrio.

Sentimento

Segundo Rosenberg, “expressar nossa vulnerabilidade pode ajudar a resolver conflitos”. Portanto, o segundo princípio se baseia em expressar como estamos nos sentindo. 

Após observar, é o momento de identificar aquilo que você está sentindo e nomear este sentimento. Para isso, é importante que você tenha clara a diferença entre sentimentos e pensamentos. 

A partir da compreensão de sentimentos como, por exemplo, alegria, tristeza e frustração, você conseguirá se expressar melhor em diálogos e encontrar um ponto de equilíbrio entre as duas partes.

Necessidades

Agora que você nomeou os sentimentos que identificou, é o momento de demonstrar as suas necessidades, valores e desejos que estão relacionados com esses sentimentos. 

A partir do momento em que expressamos as nossas necessidades, temos mais chances de satisfazê-las.

Todavia, busque identificar e informar o que você está sentindo, mas lembre-se de levar em consideração o sentimento da pessoa com quem você está se comunicando.  

Pedido

Por fim, o quarto princípio da CNV: realizar o seu pedido de maneira transparente, honesta e de maneira positiva. Por exemplo, ao invés de dizer “Não quero que você grite”, que tal experimentar responder algo como “Gostaria que você falasse mais baixo”. 

Ao término do diálogo, tenha certeza de que você comunicou as suas necessidades de maneira objetiva e que você também entendeu as necessidades da pessoa de maneira clara para que ambos estejam alinhados. 

Leia também: Saiba como evitar conflitos no condomínio

Como praticar a Comunicação não-violenta no condomínio?

Se você é síndico, é importante que você garanta que todos entendam o que você está comunicando e, inclusive, que você entenda as informações passadas entre equipe, moradores e a administradora. 

Por exemplo, em uma situação onde um funcionário vem até você, diz que cometeu um engano e preencheu o ponto errado, certamente você comunicará o processo adequado e irá garantir que o mesmo erro não aconteça.

Caso a situação seja recorrente, é possível que você fique chateado. Mas, ao abordar a pessoa, observe a situação e entenda o que de fato aconteceu – neste momento, pergunte o que levou o funcionário a cometer o erro para que você entenda, de fato, a situação.

Por fim, informe a pessoa o seu desejo de maneira tranquila e honesta “Tudo bem, Mariana. Vou informar a administradora do ocorrido, mas preciso que você tenha mais cuidado… Após o terceiro erro, vou precisar aplicar uma multa ou advertência”.

Que tal contar com uma administradora que se preocupa com essas questões?

Estamos sempre preocupados em entender as suas necessidades e oferecer a melhor solução para os seus desafios, por isso, nosso comprometimento está sempre alinhado a um atendimento personalizado, humanizado e ético.

Por fim, aqui na Tecmóbili, oferecemos mais conforto e tecnologia para o seu dia-a-dia! Entre em contato conosco e descubra outras vantagens que só a gente tem! 

Compartilhe:

linkedin tecmobili facebook tecmobili google tecmobili

Posts relacionados

Criado e Desenvolvido por: Agência Zíriga