A Tecmóbili usa cookies para melhorar sua experiência em nosso site. Ao clicar
em "ok, prosseguir" você concorda com o uso que fazemos dos cookies. Detalhes

whatsapp tecmobili
Home / Blog

Gestão financeira no condomínio: 04 dicas para te ajudar!

VOLTAR PARA TODOS OS POSTS Escrito por:

Data: 13/04/2021

Em primeiro lugar, quando a gestão financeira do condomínio vai bem, o condomínio fica melhor ainda! Veja, neste texto, 5 benefícios de uma gestão financeira adequada e como ela pode impactar positivamente no condomínio.

Gestão financeira no condomínio

De antemão, quando a saúde financeira do condomínio está em dia, é possível realizar uma série de ações que melhoram o bem-estar dos condôminos além de impactar positivamente a imagem do condomínio.

Questões como taxa condominial e inadimplência, por exemplo, deixam de ser um problema e se tornam uma solução para aqueles condôminos que muitas vezes questionam esses pontos em assembléias ou em papos com o  síndico

Veja, a seguir, quais são os principais problemas da gestão financeira e saiba como resolvê-los. 

Principais problemas para da gestão financeira no condomínio

Em primeiro lugar, seriedade e cuidado são duas características fundamentais para ter o controle real da saúde financeira do condomínio. Portanto, sem um controle de caixa efetivo, é possível que o condomínio viva uma crise financeira absurda, com reflexos diretos na vida do condômino.

Alguns dos principais problemas que influenciam negativamente são:

  • Inadimplência: a taxa de inadimplência varia de 10% a 20%, o que pode afeta os serviços do condomínio;
  • Rotatividade do síndico: toda mudança causa instabilidade, se tratando de uma figura importante com o síndico, a rotatividade pode impactar na instabilidade das finanças;
  • Multas trabalhistas: cada caso é um caso, logo, dependendo de acordos feitos com antigos funcionários, eles podem rever seus direitos e o condomínio acaba sofrendo penalidades, sendo obrigado a realizar pagamentos previstos por lei;
  • Obras e consertos: o reparo emergencial exige retirada do dinheiro do caixa. Logo, o concerto não “estava previsto” e exige uma manobra para repará-lo;
  • Falta de controle do fluxo de caixa: quando não existe um monitoramento constante do caixa, existe o risco de gastar mais do que se ganha.

Todavia, é imprescindível evitar esses problemas através de um bom controle de capital, atenção redobrada para os contratos de trabalho dos funcionários, além da implementação de um fundo reserva para obras emergenciais. 

A importância do síndico na gestão financeira

O síndico exerce um papel de liderança fundamental na administração condominial. Logo, é importante que ele tome algumas medidas antecipadas para garantir uma boa gestão financeira. 

Portanto, conhecer o real cenário das finanças do condomínio e fazer o planejamento orçamentário, com todas as despesas e receitas previstas, é fundamental. A taxa condominial também deve ser prevista no planejamento orçamentário – uma vez que a inadimplência é um problema recorrente.

Sobretudo, o síndico precisa ter um perfil analítico e ser super organizado para evitar o extravio de recibos e notas ou esquecer alguma outra tarefa financeira, como por exemplo, valores retirados do caixa de última hora. Nestes casos, uma planilha no excel é uma ótima solução para computar os gatos, além de outros softwares de gestão.

Seu condomínio tem conselho fiscal?

Em 2012 o Código Civil foi reformulado. O artigo 1.356 dita que o condomínio não é obrigado a ter um conselho fiscal ou consultivo, tornando essa questão opcional.

De antemão, o conselho está presente em muitos condomínios residenciais com uma função primordial: analisar as contas do condomínio e dar seu parecer, sendo ele favorável ou não. No entanto, a aprovação final é responsabilidade de todos os condôminos na assembleia.

Antes de mais nada, além do perfil obrigatoriamente analítico, os conselheiros também podem levantar pautas prioritárias no condomínio e, através disso, fazer o planejamento financeiro com o síndico. 

O síndico, por sua vez, também pode consultá-los antes de contratar algum prestador de serviços, por exemplo. Ele pode realizar três cotações e passar para o condomínio votar na melhor proposta. 

A administradora de condomínios e a gestão financeira

O papel da administradora de condomínios na vida financeira do edifício é importantíssimo. Nesse sentido, ela é responsável pelos recebimentos e pagamentos, monitoramento da inadimplência dos condôminos e na elaboração de balancetes. 

Já falamos em outros artigos sobre a importância de uma administradora de condomínios. Através de equipes técnicas devidamente qualificadas, ela fornece assessoria completa ao síndico, aos conselheiros e condôminos. 

Por fim, a administradora precisa ter um canal de comunicação aberto e de fácil acesso com o síndico e os envolvidos na gestão do condomínio, para que tudo flua de forma tranquila e da melhor maneira possível.

Leia também: 05 dicas para contratar uma administradora de condomínios

04 dicas para uma boa gestão financeira

 Por fim, veja a seguir 04 dicas que preparamos para te ajudar na gestão financeira do condomínio:

1.Execute e acompanhe

Entenda o cenário do condomínio e compreenda possíveis problemas. Com isso, é possível mensurar qual deve ser o valor fixo da taxa condominial, entender a entrada de recursos e fazer previsões para eliminar gastos extras. 

2.O planejamento é importantíssimo

Primeiramente, tudo na vida começa com um bom planejamento. No caso dos condomínios não é diferente. 

Não confie na memória! Escreva tudo o que deve ser feito em um determinado período, seja ele anual, semestral ou mensal. Não esqueça de somar gastos fixos, variáveis, manutenções e o que for necessário para realizar as tarefas. 

3.Faça negociações pertinentes

Boas negociações podem mudar e MUITO o cenário condominial! Portanto, o síndico e seus assessores devem ser bons negociadores. 

Quando o assunto é a renovação de seguros, entrada de prestadores de serviços e pagamento de multas, tente negociar para obter o menor valor e taxa de juros, além de um prazo maior para pagamento. 

4.Busque alternativas relevantes

Reduzir gastos e aumentar a receita é uma tarefa difícil no condomínio, portanto, busque alternativas que fazem a diferença nesse cenário. 

Alguns condomínios têm encontrado ótimas maneiras de ter fontes extras de receita. No caso das áreas comuns, por exemplo, elas podem ser alugadas para realizar eventos com food truck ou feiras relevantes para o condomínio.

Campanhas de conscientização também impactam diretamente na redução de gastos com luz e água.

Tenha isso tudo no mesmo lugar!

Por fim, uma gestão financeira eficiente no condomínio garante uma série de benefícios para os condôminos, síndico, conselheiros e para a própria administradora de condomínios. 

E que tal morar em um condomínio que se preocupa com todas essas questões? Entre em contato conosco e saiba mais!

Compartilhe:

linkedin tecmobili facebook tecmobili

Posts relacionados

Criado e Desenvolvido por: Agência Zíriga